Cinema: Bruna Surfistinha

by Mariana Perri

No último final de semana foi lançado um dos filmes nacionais mais aguardados: “Bruna Surfistinha”. O longa baseado no livro “O Doce Veneno do Escorpião”, conta a historia real de Raquel Pacheco, garota de classe media, que sai de casa para se prostituir e acaba virando sensação da internet. Porém seu vício em cocaína resulta em sua decadência.

Confesso que me surpreendi por não me chocar muito com as cenas de sexo no filme, estava esperando algo mais forte, mas o diretor soube dosar e deixar o menos apelativo possível. Em alguns momentos até contamos com uma dose de humor, o que ajuda a diminuir o constrangimento. Apenas quando é necessário fica mais pesado.

O filme tem algumas lacunas, como o motivo que leva a personagem a optar pela prostituição; ficou vago. Talvez quem tenha lido o livro compreenda, mas esse não é meu caso. O longa tem também seus pontos favoráveis. Ao contrario de muitos, não achei que a personagem é colocada na posição de  vítima e sim como responsável pelos seus atos. Achei também que existe um compromisso com a realidade. Não digo que a historia real é levada ao pé da letra, mas não foi romanceada.

Já Deborah Secco, tem uma atuação esforçada, merecendo reconhecimento. Em alguns momentos perdeu um pouco o tom, mas conseguiu transitar pelas fases da personagem de acordo com a necessidade. Finalmente,  o melhor do filme é sua trilha sonora,  excelente e muito bem empregada à historia, dando ritmo à obra.  Não é um filme marcante, mas merece ser assistido.

About these ads